Crítica – A Torre negra

Chegando aos cinemas nesse dia 24 de Agosto, A Torre Negra é um faroeste com ficção científica que vem promento muito, porém cumprindo pouco.

Antes de mais nada devemos ressaltar que o filme foi feito baseado na Obra literária de Stephen King e que trabalha uma história complexa com várias situações e locais diferentes, que é muito bem trabalhada (nos livros).

O Pistoleiro

O Pistoleiro (Idris Elba)

A Torre Negra é um local que protege diversos planetas dos demônios, que ficam aprisionados. Para que as criaturas sejam libertadas a torre tem que ser destruida através da força de crianças especiais.

Jake (Tom Taylor) é um jovem de 14 anos que tem sonhos estranhos, neles algumas crianças são aprisionadas para destruirem a Torre que protege o mundo. Seus sonhos começam após a morte de seu pai, o que faz acreditar que tudo não passa de um trauma, porém o jovem percebe que seus sonhos fazem parte de algo bem maior, e com isso começa a ir em busca do pistoleiro (Idris Elba), que são encarregados de proteger o local da destruição e manter o mundo a salvo.

O filme de modo geral é incrívelmente confuso, ele promete demais e apresenta muito pouco, visto que ele tenta juntar os 7 livros em apenas 2 horas de filme. Tudo é apresentado de forma muito curta, muito corrido, o que deixa muito difícil a conexão e profundidade com a história .

Por seu roteiro muito apressado o filme bombardeia o espectador de informações, enchendo de perguntas que não são respondidas, fazendo com que não empolguem o público já que não teve a devida preocupação e profundidade.

ATorreNegra

Um exemplo bem claro da falta de informação é justamente sobre os Pistoleiros, em nenhum momento é apresentado de forma clara de onde vieram ou a sua história, eles são simplesmente colocados lá como defensores da torre e nada além disso, o que frusta bastante, porém é algo conhecido pelos leitores.

Outro erro que chegou a incomodar bastante foram os cortes de cenas, erros de continuidade acontecem em alguns momentos, causando a perda de ritmo e desconforto.

Apesar dos pesares, A Torre negra é um filme divertido, têm muitas cenas de ação, o seu problema foi prometer demais e apresentar pouco, visto que tudo veio de forma muito resumida  e confusa. Com certeza o filme agradará aos fãs da saga literária, já que conta com muitas referências e o entendimento deles sobre o filme será muito maior do que o público geral.

Jesus

Sobre o autor

22 anos, cinéfilo, amante de doces, animes, mangás e jogos eletrônicos. Nas horas vagas estou cumprindo meu papel como Jesus.

Veja outros artigos de Jesus