PESADO! 7º Temporada The Walking Dead (Sem spoilers)

Escrever esse texto agora parece loucura ainda. Há muito, mas MUITO MESMO, a assimilar depois do tapa na cara que foi a estréia da 7º Temporada de The Walking Dead,. O episódio foi tão pesado, tão emocionalmente cansativo, que por toda a internet só se via comentários deprimidos na madrugada.

Sobre a espera

The Walking Dead tem um gigante grupo de fãs que são realmente malucos pela série. Para qualquer pessoa que leu as graphic novels ou assistiu às seis primeiras temporadas, era um fato: esse episódio de hoje mudaria TUDO. E mudou.

A sexta temporada acabou de uma maneira que dividiu muito a opinião dos fãs – em um cliffhanger. O cliffhanger é um gancho, um acontecimento que deixa um mistério, uma questão a ser resolvida no próximo episódio. Essa é uma técnica de roteiro que praticamente faz com que as séries sobrevivam, é super comum e eficiente. Mas acabar uma temporada assim, fazendo o fã esperar um ano pra saber o que aconteceu? Foi insano. O que The Walking Dead fez ano passado nenhuma outra série teve coragem de fazer.

Foi muito grande a espera e a especulação. Eles conseguiram o que queriam. Não se fala em outra coisa em meses. Todo mundo queria, antecipava, precisava saber o que aconteceria hoje. Muitos fãs, inclusive, procuraram pela resposta na graphic novel, por não conseguir esperar. Mas adiantaria?

Nos quadrinhos – onde a história já está muito à frente da TV – a resposta para esse cliffhanger já existia. Mas a questão é: os produtores da série seguiriam o quadrinho à risca? Já aconteceu diversas vezes da história da série caminhar como a do livro, mas com um personagem assumindo as ações e o “futuro” de outro; o que deixava no ar se eles fariam isso dessa vez. A verdade é, qualquer um dos nossos tão amados protagonistas poderia ser o escolhido por Negan para conhecer a Lucille.

Lucille Negan The Walking Dead

TENSO. EXTREMAMENTE PESADO. E SURPREENDENTE.

Nenhum outro episódio na história de The Walking Dead – e sinceramente, de qualquer série que eu me lembre – foi tão pesado assim. Se algumas pessoas já consideram TWD gráfico demais, nojento, realista… Acreditem, nada nunca chegou aos pés do que eles fizeram hoje. Se você gosta de sangue (e ainda está de estômago vazio) esse é o episódio pra você.

O tempo em que a história foi contada foi essencial para o efeito que a descoberta teve. A gente acompanha o tempo mental do Rick enquanto ele, atônito, tenta assimilar tudo aquilo – e nós, os espectadores, só descobrimos o que realmente aconteceu à medida que ele próprio entende. Simplesmente genial.

Aliás, o que foi a atuação do Jeaffrey Dean Morgan como Negan – ou o maior sociopata do últimos tempos? Ele realmente brilhou e está assustadoramente convincente no papel. Mas, a estréia ainda tem como destaque absoluto Andrew Lincoln, o Rick Grimes que, apesar de ter uma trajetória sempre impecável como o protagonista da série, estava simplesmente incrível ontem, realmente brilhante.

O episódio tem surpresas, mas o que mais tem mesmo é dor. De partir o coração, até dos mais valentões.

Os produtores já diziam que essa seria a temporada mais sombria da saga e, sem dúvida, eles já deixaram isso bem claro, desde o começo. Aquele fio de esperança que sempre existia nos personagens, de que eles ainda podiam ter uma vida, de que era possível construir alguma coisa… Foi-se. É realmente uma incógnita como eles vão seguir com a temporada e de onde eles (espero!) vão tirar alguma luz para os personagens poderem respirar.

Porque, se essa for mesmo a nova ordem, sinceramente, será difícil aguentar essa angústia todo domingo.

Marina

Sobre o autor

Paulistana, 25. Formada em Cinema pela FAAP e em Roteiro para Séries de TV e Filmes pela Vancouver Film School. Escritora, Produtora e Tradutora Audiovisual, especializada em binge-watching series since before it was cool.

Veja outros artigos de Marina