rastro

Crítica: O Rastro

Fazer um filme no Brasil e ainda mais de Terror é algo um pouco complicado, visto que em nosso país os filmes que realmente implacam são de comédia. O Rastro é a nova aposta de filme nacional Brasileiro. O filme se passa em um hospital abandonado e com muitos mistérios envolvendo não só o hospital, mas também o governo do país, o que soma ao filme de uma maneira positiva mostrando um dos nossos reais e grandes problemas.

João Rocha (Rafael Cardoso), um jovem e talentoso médico em ascensão, acaba encarregado de uma tarefa ingrata: supervisionar a transferência de pacientes quando um hospital público da cidade do Rio de Janeiro é fechado por falta de verba. Quando tudo parece correr dentro da normalidade, uma das pacientes, criança, desaparece no meio da noite, levando João para uma jornada num mundo obscuro e perigoso.

 

O Rastro
João Rocha (Rafael Cardoso) e Leila (Leandra Leal)

Acertos? Sim!

Em O Rastro, temos uma fotografica incrívelmente bem feita (por ser Brasileiro é claro), os cortes nas cenas, o tom mais azulado e uma gama de cores mais frias, um suor dos personagens quase que a todo instante (terror tropical), transmitem o pavoroso e confuso mundo de João Rocha. No hospital vemos um ambiente destruído e perverso com muitos segredos, com isso conseguiu-se então trazer ao filme o terror e uma identidade dramática, tudo o que o filme precisava.

O filme aborda o estilo JumpScare, que confesso que funcionaram muito bem em uma cena ou outra. (eu sou muito medroso com filme de terror então funcionou mais ainda…), efeitos sonoros foram ajustados muito bem para as cenas, o que ajudou o filme a ter um bom desempenho.

Alguns problemas no meio do caminho…

Um problema muito perceptível no filme é o fato de correr demais com certas cenas ou informações. O filme em si tem diversos assuntos e tópicos, porém o filme não chega a focar ou abordar somente um deles e por conta disso acaba por correr demais em muitos momentos. Independente de abordar muitos assuntos, é capaz de se entender o que o filme quer passar, não só com a crítica política do país mas com toda a nossa situação atual. Infelizmente, por conta disso o espectador pode ficar confuso e um tanto perdido, por conta dos caminhos que o filme segue.

Afinal o que achamos do filme?

O filme tem seus pontos positivos de filmagem. Os sustos no meio do caminho, a história e crítica aos problemas do nosso país. Porém não apresentou um real foco por conta de muitos temas abordados e se perde um pouco no caminho. Pela sua qualidade de filmagem, acho muito válido a ida para os cinemas conferir o filme, afinal mesmo com seus defeitos ele consegue ter um ótimo resultado e reação do espectador, já que filmes de terror Brasileiro não são muito bem vistos por nós.

O rastro está nos cinemas a partir dessa Quinta-feira, dia 18 de maio.

Autor

22 anos, cinéfilo, amante de doces, animes, mangás e jogos eletrônicos. Nas horas vagas estou cumprindo meu papel como Jesus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *