Crítica: Maze Runner – A Cura Mortal

Maze Runner: A Cura Mortal é o terceiro e último filme da série, muito aguardado por seus fãs, seja eles os que somente o conhecem pelos seus longas, ou os que conhecem sua história pelos livros.

Gostaria de deixar bem claro antes de começarmos, que quem aqui vós apresentará sua opinião, é um fã recente, que viu não só os filmes anteriores, mas também entrevistas e artigos e que infelizmente nunca leu um livro da série. Então, por favor, não me matem!

Agora, se você também só assistiu as adaptações feitas, talvez minha opinião seja mais valiosa do que para quem já leu e com certeza conhece mais do que eu. Enfim, vamos lá?!?!

Uma continuação eletrizante

A história aqui se passa pouco tempo depois de A Prova de Fogo, onde Minho acabou sendo capturado pela C.R.U.E.L e levado para mais testes sobre a tão procurada cura para o vírus. Todo o filme gira em torno desse acontecimento e de sua busca por vingança, seguindo um ritmo divertido, bem elaborado e cheio de ação.

Tudo aqui é muito coeso, sem muitas explicações seguindo um ritmo que não deixa nada a desejar, demonstrando muito bem todos os sentimentos que os personagens possuem uns pelos outros, sendo isso amizade, amor ou ódio.

MazeRunner2

Cada um com seu espaço!

Obviamente, todos aqui sabemos que Thomas é o grande protagonista, mas, e os demais?

Todo mundo teve seu espaço. Cada ator e personagem possuiu um momento para brilhar e demonstrar a sua importância, o porquê de estar ali, o que o deixa divertido e interessante a cada momento, por esperarmos o momento de brilhar de nossos personagens favoritos.

Devo comentar aqui que a atuação de Aidan Gillen (Janson) foi incrível, sem contar seu papel fundamental que trouxe a emoção que o filme precisava.

Maze Runner 1

Efeitos e mais efeitos

Uma fotografia muito bem trabalhada, cada um de seus efeitos são incríveis. Explosões acontecem a todo momento, perseguições, tiros, o “surreal” chega próximo ao real. Inclusive, os efeitos de deterioração causadas pelo efeitos do vírus, a realidade que causava ao ver os “Cranks” em suas aparições (que até assusta um pouco e aumenta a adrenalina), fazendo desse um filme eletrizante que te permite adentrar a cada cenário e acontecimento.

Apesar de ter vindo um pouco atrasado (por conta de um acidente que o ator Dylan O’Brien havia sofrido durante as gravações), Maze Runner: A Cura Mortal não só satisfaz, mas encerra de forma incrível a sua trilogia.

Em minha opinião pessoal, é o melhor dos três filmes!

A Cura Mortal tem a data de estreia marcada para o dia 25 de Janeiro nos cinemas. Confira o trailer:

 

Jesus

Sobre o autor

22 anos, cinéfilo, amante de doces, animes, mangás e jogos eletrônicos. Nas horas vagas estou cumprindo meu papel como Jesus.

Veja outros artigos de Jesus