Crítica – Manchester À Beira-Mar

O encanador preguiçoso e despreocupado Lee Chandler (Casey Affleck) se vê forçado a voltar para sua cidade natal após uma tragédia em sua vida. Ao chegar lá, ele começa a estabelecer uma relação de cuidado com seu sobrinho adolescente e também se envolve cada vez mais na resolução de segredos trágicos do seu passado.

Se você acha que a sua vida é ruim, espere até ver a dele

Manchester À Beira-Mar é um drama americano dirigido e escrito por Kenneth Lonergan. Com uma premissa triste e nada agradável, o filme traz nada mais nada menos que um protagonista envolvido por tragédias e pura tristeza. Que fique claro que este não é um filme de superação, onde o protagonista terá uma esperança e tudo ficará melhor ou que ele ajude pessoas e se sinta bem com isso. Manchester À Beira-Mar é trágico, feito para pessoas chorarem e refletirem, porque na vida nada é fácil e o personagem de Cassey Affleck mostra muito bem isso.

Lee Chandler é um cara que não liga para nada e totalmente desocupado, faz o que quer e não se anima para nada. Cassey Affleck está excelente no papel, para muitos pode até ser angustiante vê-lo em certas situações no filme, mas é totalmente compreensível ao conhecer seu passado.
O sobrinho de Lee, Patrick (Lucas Hedges) também está ótimo no filme, consegue passar a ideia, bem clara, de um jovem adolescente. Um garoto simples que tem uma banda, joga num time de Hockey e sai com duas garotas ao mesmo tempo, tentando se dar bem com a primeira que rolar.

Manchester à Beira Mar
Manchester à Beira Mar – Lee Chandler e Patrick

A ex-esposa de Lee, Randi Chandler (Michelle Williams) é uma coadjuvante que traz maior parte da tragédia de sua vida. Quando tudo aparentar ficar melhor no filme, eles acabam se encontrando e tudo volta a tona para o protagonista, deixando-o ainda mais desesperado.

Manchester À Beira-Mar não é um filme para qualquer um, pessoas que não gostam de drama, podem acabar decepcionadas. Como dito acima, este filme não tem superação nem coisas bonitas, é possível dar algumas risadas com certas situações, mas nada tão animador. Este é um filme que acaba com vários arquétipos e clichês de filmes de drama, o protagonista não procura redenção e não quer se envolver em nada, só se afastar. Patrick não é um adolescente com vida perfeita ou muitos amigos e popular e a ex-esposa não supera o trauma após seu novo casamento. Nenhum personagem é perfeito, ninguém fica feliz no final do filme.

Manchester À Beira-Mar é um ótimo filme e estreará nos cinemas dia 19 de Janeiro.

Autor: Otavio B. Giantin (Geeks United)

Um rapaz que fez do hobby um trabalho e criou o Geeks United com seu amigo. Sempre interessado em aprender e conhecer mais. Gamer desde criança e aficionado por Board games. Altas madrugadas jogando e trabalhando incansavelmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *